NO AR

Rádio Ponte FM 98.5

pontefm98.com

Brasil

Desemprego cai a 11,2% no trimestre até fevereiro, menor taxa para o período desde 2016

Mercado esperava que taxa ficasse em 11,4%; contingente de ocupados ficou estável frente ao trimestre anterior, indicando volta ao padrão anterior à pandemia de Covid-19, diz IBGE

Publicada em 31/03/2022 às 10:16h - 24 visualizações

por Ligia Tuon, do CNN Brasil


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Pessoas deixam currículos em ponto de anúncios de vagas de emprego no centro de São Paulo  (Foto: Amanda Perobelli)

taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre móvel encerrado em fevereiro, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (31), na Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua).

O mercado esperava que a taxa ficasse em 11,4%.

Trata-se da menor taxa para um trimestre encerrado em fevereiro desde 2016. Na comparação com o último trimestre, o número de pessoas em busca de trabalho caiu 3,1%. No entanto, o país ainda soma 12 milhões de desempregados.

O IBGE observa que, apesar de resultado continuar mostrando tendência de queda verificada nos últimos trimestres, “a diferença é que nesse trimestre não se observou um crescimento significativo da população ocupada”, disse Adriana Beringuy, coordenadora de trabalho e rendimento do IBGE.

Estimado em 95,2 milhões de pessoas, o contingente de ocupados ficou estável frente ao trimestre anterior, o que, para a especialista, pode estar retomando um padrão anterior à pandemia de Covid-19, já que, nos trimestres anteriores, era verificada retração dessa população.

Uma das possíveis explicações de Adriana para isso é o desligamento de trabalhadores que, no fim do ano anterior, são contratados de forma temporária. “Se observarmos a série histórica, veremos que, desde o seu início, houve queda no número de pessoas ocupadas nesse período. Agora não tivemos queda, mas essa perda de fôlego neste ano pode indicar a retomada desses padrões sazonais”, diz.

 IBGE

O IBGE destaca que uma das únicas categorias em expansão foram os empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada, que avançaram em 1,1% frente ao trimestre anterior, ou uma adição de 371 mil pessoas.

Já no contingente de trabalhadores por conta própria houve declínio de 1,9% na comparação com o trimestre encerrado em novembro, uma queda de 488 mil pessoas.

O fato de essa retração ter sido disseminada entre as atividades, como comércio, construção e alimentação — que absorvem grande parte dos trabalhadores informais –, foi observada uma queda na informalidade no período, destaca a especialista.

A quantidade de profissionais informais caiu de 38,6 para 38,3 milhões de um trimestre móvel para outro, com a taxa de informalidade indo de 40,6% a 40,2% no período.

Os informais abrangem trabalhadores sem carteira assinada, o empregador e trabalhador por conta própria sem CNPJ e o trabalhador familiar auxiliar.

O número de pessoas fora da força de trabalho, por outro lado, avançou 0,7% no período, ou 481 mil pessoas a mais, para 65,3 milhões. Esse movimento é outro indicador de volta aos padrões anteriores à pandemia, destaca a pesquisadora.

O rendimento médio do trabalhador ficou estável em R$ 2.511, menor nível já registrado em um trimestre encerrado em fevereiro desde o início da série histórica da pesquisa, em 2012.

“Nos trimestres anteriores, o rendimento médio estava em queda. A estabilidade desse trimestre pode estar relacionada à diminuição no número de trabalhadores informais, que têm menores rendimentos, e ao aumento de trabalhadores com carteira assinada no setor privado”, diz.

 

fonte: CNN




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

LIGUE E PARTICIPE

081 3522-1356

Visitas: 46559
Usuários Online: 7
Copyright (c) 2022 - Rádio Ponte FM 98.5 - Radio Ponte FM 98.5 Fone: 81-3522-1356 Endereço: Rua João Paes Barreto 42a Alto do Sol, Ponte dos Carvalhos, Cabo de Santo Agostinho-PE