NO AR

Rádio Ponte FM 98.5

pontefm98.com

Brasil

GUERRA: PT acusa Israel de discriminar o Brasil por não liberar saída de brasileiros retidos em Gaza

A retirada de estrangeiros começou na quarta-feira e por três dias seguidos não incluiu nenhum brasileiro no grupo. Desde os atentados do Hamas contra Israel, em 7 de outubro, o governo tenta, sem sucesso, tirar os brasileiros de Gaza

Publicada em 09/11/2023 às 09:05h - 30 visualizações

por Estadão Conteúdo


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Faixa de Gaza tem internet cortada, afirma embaixada do Brasil - NE10  (Foto: )

presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, criticou nesta sexta-feira (3/11), o governo de Israel por não incluir o grupo de cerca de 30 brasileiros retidos na Faixa de Gaza à espera de uma autorização para deixar o território palestino em meio à guerra entre os israelenses e o grupo palestino Hamas.

A retirada de estrangeiros começou na quarta-feira e por três dias seguidos não incluiu nenhum brasileiro no grupo. Desde os atentados do Hamas contra Israel, em 7 de outubro, o governo tenta, sem sucesso, tirar os brasileiros de Gaza.

Segundo Gleisi, Israel discrimina o Brasil e não apresenta nenhuma justificativa para isso. A deputada ainda acusou Tel-Aviv de elaborar as listas de saídas de estrangeiros de Gaza com base em uma hierarquia política.

"O governo israelense sinaliza que estabeleceu uma hierarquia política para a liberação de civis, privilegiando alguns países em detrimento de outros", disse Gleisi em sua conta no X, o antigo Twitter. " Da mesma forma que defendemos a libertação dos reféns israelenses, não podemos admitir que civis brasileiros permaneçam ameaçados numa região sob massacre militar. Liberdade já para os brasileiros(as) em Gaza."

TERCEIRA NEGATIVA DO GOVERNO DE ISRAEL

Pela terceira vez o governo israelense negou a saída de cidadãos e cidadãs brasileiros ameaçados pelo massacre contra população civil na Faixa de Gaza. E não apresentou qualquer explicação para essa atitude que discrimina um país, o Brasil.

Belal ALSABBAGH / AFP
Com novos bombardeios na Faixa de Gaza, número de palestinos mortos em 24 horas chega em 704, quantidade de óbitos no conflito já passa de 6 mil, maioria é de palestinos - Belal ALSABBAGH / AFP

 

Em outubro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou em mais de uma oportunidade a retaliação de Israel ao Hamas pelos ataques terroristas do início daquele mês. Lula chegou a qualificar a ação israelense de genocídio.

Apesar disso, a diplomacia brasileira diz que não há retaliação política na elaboração das listas, feitas em conjunto por Israel e Egito, após um acordo mediado no início da semana com auxílio de Estados Unidos e Catar.

Como exemplo de que não haveria má vontade, o embaixador brasileiro em Israel Frederico Meyer citou à TV Globo o exemplo da Indonésia, um país de maioria muçulmana e sem relações com Israel, e que teve seus nacionais incluídos em uma das listas iniciais.

SAÍDAS DE GAZA SÃO DIÁRIAS

Em média, cerca de 500 pessoas deixam Gaza por dia. Há estimativas de 5 mil estrangeiros ou palestinos com dupla nacionalidade querendo deixar o território. Nos primeiros dias, a prioridade foi dada a europeus, americanos e cidadãos de países muçulmanos.

A passagem de Rafah para a retirada de estrangeiros ou palestinos com dupla cidadania, além de feridos em estado grave está aberta desde o dia 31.

O primeiro grupo, que reunia 450 cidadãos de alguns países europeus e da Austrália, além de trabalhadores de agências humanitárias, deixou Gaza na quarta-feira. Na quinta pela manhã, um segundo grupo, composto majoritariamente por americanos, cruzou o posto de Rafah em direção ao Sinai. Um terceiro grupo deixou Gaza na terça, mais uma vez, sem brasileiros.

Segundo diplomatas brasileiros, há uma indefinição sobre de quem é a palavra final na montagem das listas: se das autoridades israelenses ou egípcias. Desde ontem, o chanceler Mauro Vieira, de acordo com o Itamaraty, tem feito gestões junto aos envolvidos nas negociações para que os brasileiros sejam envolvidos nos próximos grupos.

Apesar disso, ainda segundo esses diplomatas, não há uma previsão.

Faixa de Gaza tem internet cortada, afirma embaixada do Brasil

Com novos bombardeios na Faixa de Gaza, número de palestinos mortos em 24 horas chega em 704, quantidade de óbitos no conflito já passa de 6 mil, maioria é de palestinos




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

LIGUE E PARTICIPE

081 3522-1356

Visitas: 120104
Usuários Online: 1
Copyright (c) 2024 - Rádio Ponte FM 98.5 - Radio Ponte FM 98.5 Fone: 81-3522-1356 Endereço: Rua João Paes Barreto 42a Alto do Sol, Ponte dos Carvalhos, Cabo de Santo Agostinho-PE